Usina solar da Caximba: natureza renovada

Obras de implantação da estrutura deve ser concluída em dezembro


A Usina Solar da Caximba é uma usina de energia limpa de matriz solar que está sendo construída no antigo aterro sanitário de Curitiba. O aterro sanitário da Caximba foi desativado em 2010 e durante 20 anos a área recebeu 12 milhões de toneladas de lixo de Curitiba e da Região Metropolitana. Agora, a área terá uma destinação nobre. As obras da usina solar devem ser concluídas no próximo mês de dezembro. O projeto prevê a instalação de 8596 placas colocadas sobre 614 estruturas de ferro galvanizado e apoiadas em bases concretadas. Com este porte e características, será a primeira da América do Sul. Depois da conclusão da instalação da estrutura será implantada a linha de distribuição e iniciados os testes. A princípio, a geração de energia da usina do Caximba acenderá lâmpadas e acionará equipamentos eletrônicos de 30% dos cerca de 4 mil prédios públicos municipais - como escolas e unidades de saúde. Em março, o fornecimento passará a ser contínuo.


Recuperação ambiental e biodiversidade

A Pirâmide faz parte de um conjunto de iniciativas do programa da prefeitura de Curitiba, “Curitiba Mais Energia”, uma das estratégias da cidade para combater e mitigar as mudanças climáticas. O programa inclui a instalação de painéis no Palácio 29 de Março, no Salão de Atos do Parque Barigui e na Galeria das Quatro Estações, do Jardim Botânico. Também está em funcionamento a Central Geradora Hidrelétrica Nicolau Klüppel, que gera energia a partir da queda d’água do Parque Barigui.


A natureza agradece

A natureza já reagiu a recuperação do antigo aterro: dentro da futura usina, sobre uma torre desativada de drenagem de gás gerado pelo lixo depositado, um joão-de-barro construiu sua casa.



Foto: Daniel Castellano - SMCS
Usina solar da Caximba - Curitiba - PR / Foto: Daniel Castellano - SMCS

7 visualizações0 comentário