História da ABES – PR

Por Professor Francisco Borsari Neto
(Primeiro Presidente da ABES-PR)

Em 1963, reuniram-se atuantes na área de saneamento, em Curitiba, para a criação da Sub Seção da Associação  Interamericana de Ingenharia Sanitária -AIDIS  Paraná Santa Catarina.

Recebendo o apoio de entidades como o  DAE,  SANEPAR, FSESP, DNOS e UFPR e  com o empenho de suas diretorias e de seus associados surgiram  as  participações  em congressos, seminários, palestras, representações e a conquista, mesmo com poucos  participantes de integrantes da entidade paranaense  em Porto Alegre, com o slogam “PARANÁ CONVIDA – PROXIMO CONGRESSO CURITIBA”, da escolha  por unanimidade de nossa capital,  para a  realização  do  III Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e o VII Seminário de Professores de Matérias relacionadas com a Engenharia Sanitária  em setembro de 1965.

Presidida pelo Engº Francisco Borsari Netto e com integrantes da Diretoria  Osíris Stenghel Guimarães, Gerhard Leo Linzmeyer, Pedro Nelson Costa Franco, Gilson Fernando Gomy de Ribeiro , Alan Stradioto, Kenitiro Nagayama, Luiz Romaguera Neto, Arnoldo Boscardim, Anito Zeno Petry, Omar Sabbag, Hilário Weil, Armando Julio Bittencourt e abnegados companheiros, muitos dos quais continuam atuando na ABES,  e com a presença de Enaldo Cravo Peixoto, Adilson Seroa da Motta, Walter Pinto Costa, José Martiniano de Azevedo Neto, Max Lotar Hess, Lincon Continentino, Canterge, entre outros destacados sanitaristas foi  realizado  em Curitiba o III Congresso Brasileiro da AIDIS que, com o apoio da Sanepar e do então Governo do Estado e da Reitoria da Universidade Federal do Paraná, reuniu 577 participantes havendo  a apresentação de 97 trabalhos, exposição com 24 firmas, com  ampla repercussão nacional, fixando-se as diretrizes para a transformação em ABES e que contribuiu decisivamente para sua consolidação como entidade representativa dos militantes no Setor de Saneamento no Paraná.

Na década de 60, período de extrema carência de serviços públicos de saneamento básico, que superava a capacidade dos Órgãos existentes, limitados em recursos financeiros,  a subseção transformada em ABES-Paraná destacou-se nas reivindicações pela unificação das ações dispersas em mais de 14 órgãos federais que atuavam na área e na instituição de um sistema único de financiamento para o setor.

Com a instituição do Sistema Financeiro do Saneamento – SFS, do Banco Nacional de Habitação – BNH e com a vigência do Plano Nacional de Saneamento- Planasa, a ABES teve papel relevante contribuindo para o fortalecimento do setor de saneamento básico.

Atendendo as exigências ambientais e da sociedade, num entendimento da relação do saneamento, saúde pública e meio ambiente, acrescentou em seu nome a palavra ambiental, passando a denominar-se Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental.   

A ABES-PR, mesmo passando a viver tempos distintos,  cresceu e, nas gestões sucessivas de Francisco Borsari Netto,Osiris Stenghel Guimarães, Gerhard Leo Linzmeyer, Carlos Afonso Teixeira de Freitas, Luiz Renato Pereira, Nicolau Leopoldo Obladen, Luiz Carlos  Blume, Gilson Fernando Gomy de Ribeiro, Reinaldo José Rodrigues dos Santos, Pedro Nelson Costa Franco, Edgar Fausto Filho, Antonio Carlos  Nery e  Luiz Henrique Bucco, marcou época no passado com grandes feitos, mas continuou se projetando  e inovando  em significativos  pontos  como  a criação do portal Canal Abes, a ABES na Rua, a reedição  e apoio às  Subseções Regionais  no interior do Paraná, a conquista de   postos na Diretoria Nacional e com eles contribuindo com trabalhos e sugestões, as atuações  das câmaras, os estudos sobre resíduos sólidos,  instalação da  sede própria, a realização  de cursos, simpósios e Congressos destacando-se o 19º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental em Foz do Iguaçu, estimulando  debates junto aos jovens que estão ingressando no mercado de trabalho, continuando anualmente  premiando profissionais e empresas que defendem o meio ambiente, contribuindo  com a definição de uma política de saneamento ambiental para o Estado, intensificando as parcerias com a Universidade Federal do Paraná, a Universidade de Stuttgart, o Senai, o CREA-PR,  a Universidade Positivo, a Sanepar, a Caixa, o Instituto de Engenharia do Paraná,  efetuando  melhorias em sua Sede e a localizando  em ponto estratégico facilitando sua procura e acesso aos associados,    e mais do que isto preocupando -se com temas atuais ligados ao saneamento e recursos naturais, ações que continuam ininterruptamente merecendo suas atenções e aplicações.

A ABES Paraná  tem mostrado estar  consciente que de seu início em 1966 a hoje vivemos um mundo novo, em constante mudança, com inúmeros desafios e  onde com a evolução da tecnologia a era do paternalismo e do protecionismo social acabou, as pessoas e organizações são obrigadas a reinventar suas vidas e formas de produzir e prestar serviço, a buscar sempre novos conhecimentos, porque o modelo de organizações protetoras – tanto empresas como governos – está se esgotando.

Na sociedade tecnológica que se estabelece neste início de século, a solução é implementar um trabalho intenso de mobilizar cada cidadão para Qualidade de Vida. Qualidade Cidadã é o requisito básico para sobreviver nessa nova  fase que, também, exige que nos preparemos para o mundo da virtualidade das relações.

A suposição  de um Planeta com abundância de recursos inesgotáveis é mudada para a visão de um observador em uma arena  com recursos finitos que deve ser bem cuidada e isto é o que  estão proporcionando os integrantes da ABES Paraná e almejando  que assim possam continuar.

É nesse contexto que a ABES Paraná recebeu a delegação de realizar o 31º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental em Curitiba, em 2021, e sua diretoria esta cuidadosamente trabalhando e se preparando para cumprir essa missão.

Preparação é a palavra de ordem. O preparo envolve busca, estratégia, foco, disciplina, meta, perseverança e fé, e isto é o que estão proporcionando os integrantes da ABES Paraná.

Mais sobre a ABES

Fundada em 1966, a mais antiga e atuante entidade brasileira do setor de saneamento ambiental, a ABES nasceu como ideia no início da década de 1960, quando um grupo de engenheiros sanitaristas do Estado do Rio de Janeiro, aliados principalmente a colegas de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Bahia, iniciou a mobilização a partir de um congresso da Aidis realizado em Bogotá, na Colômbia.

Primeiramente, buscou-se a fusão da antiga seção brasileira da Aidis com a Associação Brasileira de Engenharia de Saneamento (Abesan), formada por antigos profissionais do hoje extinto Departamento Nacional de Obras de Saneamento (DNOS, posteriormente Dnocs).

Hoje a ABES atua nas lutas nacionais buscando reverter o grave quadro sanitário do País. Além disso, é Internacionalmente reconhecida como uma instituição devidamente capacitada para exercer liderança nos diversos setores que integram o saneamento básico e ambiental brasileiro.

Está organizada através de uma Direção Nacional legitimada através do voto direto de seus associados a cada dois anos.

Para saber mais, clique aqui.

Seccionais e Sub-Seccionais

Dispõe de uma sede nacional localizada no Rio de Janeiro com representação nas 27 Unidades da Federação através de suas Seccionais e Sub-Seccionais.

Galeria de Presidentes da ABES-PR

1966-1971

Mandatos: 1966-1967, 1967-1969 e 1969-1971

Ver mini currículo

1966-1971
1985-1989

Luiz Renato Pereira

Mandatos: 1985-1987 e 1987-1989

1985-1989
1999-2001

Luiz Carlos Blume

Mandato: 1999-2001

1999-2001
2001-2003

Mandato: 2001-2003

Ver mini currículo

2001-2003
2007-2009

Pedro Nelson Costa Franco

Mandato: 2007-2009

2007-2009
2009-2013

Edgard Faust Filho

Mandatos: 2009-2011 e 2011-2013

2009-2013
2013-2017

Antonio Carlos Nery

Mandatos: 2013-2015 e 2015-2017

Ver mini currículo

2013-2017
2017-2021

Luiz Henrique Bucco

Mandatos: 2017-2019 e 2019-2021

Ver mini currículo

2017-2021